br

Fundação LLYC

Programa entre amigas.
Uma mudança de armário solidária

“Programa entre amigas”: Dois projetos, um objetivo

Aproveitando a habitual mudança de armários que se realiza entre as estações, na Fundação LLYC executamos a iniciativa “Mudança de armários solidária”, não qual, com a ajuda de todos os empregados da Firma, conseguimos recolher mais de 400 peças de roupa – na sua maioria prendas de mulher, apesar de que também contamos com algumas outras masculinas e de crianças–.

A ideia inicial era doar esta roupa a uma entidade que precisasse, no entanto, o sucesso de convocatória e a tremenda participação de nossas equipes nos levou a desenvolver uma segunda fase do projeto, muito mais ambiciosa, original e chamativa.

Em um momento no qual as lojas “pop-up”, show-rooms e lojas de segunda mão estão de moda, decidimos formular um “Programa entre amigas” diferente dirigida a apoiar a um de nossos grupos principais: mulheres em risco de exclusão social.O objetivo detrás deste projeto foi doar roupa de grande qualidade com plena dignidade, oferecendo uma experiência inesquecível a mulheres em risco de exclusão social com “um programa entre amigas” que lhes faça sentir bonitas e importantes por um dia e em um ambiente relaxado e divertido.

Impacto.

Graças a este projeto conseguimos ajudar a 124 mulheres e 24 crianças através de 6 fundações. Ademais, 6 empresas colaboraram conosco para tornar realidade este dia entre amigas.

“Não pensei que o posto de óculos de sol seria uma parada tão importante no Programa entre amigas. Para muitas mulheres, os óculos são a forma de mostrar ao mundo seu estilo, sua elegância ou seu atrevimento. Mas para muitas outras também pode ser um acessório perfeito para esconder suas lágrimas, raiva ou tristeza. Essa tarde, uma mulher me pediu que lhe desse “os óculos mais grandes e negros que tivesse para esconder seu rosto”. Fiquei paralisada por um momento. Era uma mulher lindíssima mas seus olhos estavam cheios de dor de partir o coração. “Por que você não experimenta estes óculos roxos de forma moderna e redonda?”, eu disse. Eram atrevidos inclusive para mim, mas essa mulher necessitava cor e alegria por fora, para ter a força necessária para seguir adiante por dentro. Ao ver seu reflexo, sua primeira reação foi assustar-se. Se olhou devagar, com cautela, e depois vaidosa, e ao assegurar-lhe que estavam perfeitas, vi como esboçava um pequeno sorriso. “Fazia tempo que não me sentia tão bonita”, me disse. E me abraçou agradecendo. “Mas eu não fiz nada”, pensei. Ao ver como se distanciava, com os óculos entre suas mãos como se fossem um tesouro, entendi que talvez esse objeto fosse seu amuleto para seguir em frente e olhar com novos olhos, a próxima etapa em sua vida. Então a que esboçou um sorriso, fui eu.”

Patricia Ariño
Voluntária da Fundação LLYC

¿Necesitas ayuda?